Morre Oswaldo Arellano, ex-presidente golpista de Honduras

Agência AFP

TEGUCIGALPA - O general reformado Oswaldo López Arellano, que chegou ao poder em Honduras através das armas em 1963 e em 1972, morreu neste domingo aos 88 anos, informou o governo.

O militar, convertido em um proeminente banqueiro que evitou a imprensa por décadas, morreu de câncer de próstata, segundo emissoras locais.

A presidência emitiu um comunicado no qual "lamenta profundamente a morte" de Arellano e anuncia que ele será enterrado com "honras de Estado".

Como comandante em chefe das Forças Armadas, o militar tirou do poder em 3 de outubro de 1963 o então presidente liberal Ramón Villeda Morales, nove dias antes das eleições gerais.

Em 1972, derrubou um presidente eleito nas urnas, o direitista Ramón Cruz, dizendo que este estava "incapacitado" de governar.

No entanto, em 1975, foi expulso do poder também por um general, Juan Alberto Melgar, e se retirou da vida militar.