Polêmico cardeal colombiano é substituído em missa nos EUA

Agência AFP

WASHINGTON - O cardeal colombiano Darío Castrillón, alvo de polêmica por elogiar um bispo francês que não denunciou um padre pedófilo, foi substituído como oficiante de uma missa em Washington para preservar a "solenidade" da cerimônia.

Castrillón presidiria uma missa em latim no sábado para celebrar o quinto aniversário do pontificado de Bento XVI, mas os diretores do Paulus Institute afirmaram que ele foi substituído para "manter a solenidade, a reverência e a beleza da missa".

Em uma carta enviada em 2001, Castrillón tratou o bispo de Bayeux-Lisieux, norte da França, como modelo para todos os bispos por não ter denunciado os abusos sobre menores cometidos pelo padre Rene Bissey.

Na época, o cardeal colombiano de 81 anos estava à frente do departamento do Vaticano responsável por todos os padres no mundo.

Os organizadores da missa afirmaram que não pretendem julgar as ações passadas do religioso colombiano, mas o Paulus Institute destacou que apoia as diretrizes da Igreja Católica e do papa de que todos os bispos devem denunciar crimes de abusos sexuais à polícia.