General denuncia 'cubanização' das Forças Armadas venezuelanas

Agência AFP

CARACAS - O general venezuelano da reserva Antonio Rivero denunciou, esta quinta-feira, a "intromissão de militares cubanos" nas Forças Armadas da Venezuela, assim como a "politização" das tropas por parte do governo do presidente Hugo Chávez.

"Meu pedido de baixa se relaciona com a presença e a intromissão de militares cubanos na Força Armada Nacional (...). É vergonhoso para a instituição armada", declarou Rivero, durante coletiva.

"A inclusão de militares cubanos está além do que deveria ser permitido. Estão em área estratégica, na segurança do Estado", acrescentou.

Segundo Rivero, os militares cubanos participam da organização das Forças Armadas venezuelanas, em capacitação e treinamento, e na "introdução de elementos doutrinários militares em níveis de comando e Estado-maior".

Além disso, estão presentes nos setores de comunicação, armamento e inteligência, "entre outras áreas vitais de alto nível da segurança do Estado", acrescentou.

O general também manifestou seu desacordo com "a politização na ordem partidária e a perda de instituição democrática que hoje existe na FAN" e com o uso, nas fileiras militares, da consigna 'Pátria socialista ou muerte', usada pelo Exército em seus atos.

Rivero, que ocupava a chefia de Estado-maior de uma divisão de infantaria de reserva, deu baixa em abril, segundo o diário oficial venezuelano de 6 de abril.