Estúdio endividado suspende filmes de James Bond

Agência AFP

LONDRES - A produção do último filme de James Bond foi suspensa por tempo indefinido, em meio à incerteza que pesa sobre o futuro do endividado estúdio americano MGM, anunciou nesta terça-feira a empresa britânica que produziu todos os títulos da lucrativa franquia.

Os produtores Barbara Broccoli e Michael Wilson, da EON Productions, indicaram que precisaram suspender o projeto da nova aventura do famoso agente 007, com o título provisório de "Bond 23", devido à confusão em torno do Metro Goldwyn Mayer (MGM).

"Por causa da incerteza sobre o futuro do MGM e do fracasso em vender o estúdio, suspendemos a produção de 'Bond 23'", anunciaram em um comunicado.

"Não sabemos quando será retomada e não temos nenhuma data para a estreia", acrescentaram.

No fim de março, o MGM acordou com seus credores a extensão até o dia 14 de maio do prazo para pagar a dívida de 3,7 bilhões de dólares possui.

O estúdio admitiu no dia 23 de março que recebeu várias propostas de compra em sua busca de financiamento para pagar a dívida, e uma fonte próxima às negociações disse paralelamente que o Time Warner era candidato.

O Metro, um dos estúdios originais de Hollywood, reivindica o maior catálogo de filmes do mundo com 4 mil títulos, entre eles os 22 da série "James Bond" e as sagas da "Pantera Cor deRosa" e "Rocky".