Brown propõe reforma constitucional para sanear política britânica

Agência AFP

LONDRES - O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, prometeu nesta quarta-feira, caso seja reeleito no pleito de 6 de maio, "restaurar a legitimidade da democracia", arranhada por escândalos envolvendo deputados, acusados de gastos irregulares.

"Todos os políticos devem reconhecer que a confiança foi fortemente rompida entre aqueles que servem e aqueles a quem eles devem servir. E creio que não podemos realmente superar os outros grandes desafios sem restaurar plenamente a legitimidade da democracia", declarou o chefe do governo trabalhista, que está em desvantagem nas pesquisas.

Brown propôs então "a reforma constitucional mais profunda em um século" visando a "formular um novo contrato entre a população e o governo".

Em virtude desta reforma, os deputados não poderão mais trabalhar para empresas de lobby e a população poderá lançar um procedimento de destituição contra deputados culpados de "graves crimes financeiros".

Em uma medida que acabará com as particularidades inglesas, os trabalhistas prometem lançar o processo visando a redigir uma Constituição e a fixar um mandato preciso para os deputados. Atualmente, a duração de uma legislatura é de cinco anos no máximo, mas o primeiro-ministro pode convocar eleições legislativas antecipadas a qualquer momento.

Além disto, um novo governo trabalhista proporá por referendo a eleição dos membros da Câmara dos Lordes, câmara alta do Parlamento, que atualmente são nomeados.

Dois referendos serão organizados: no outono (hemisfério norte), sobre a reforma dos Comuns, e antes de outubro de 2011, sobre a dos Lordes.