Ex-ministro boliviano suspeito de corrupção está no Chile

Agência ANSA

SANTIAGO - O ex-ministro de Governo boliviano Guillermo Fortún, suspeito de cometer crimes de corrupção durante o mandato de Hugo Banzer (1997-2001), está vivendo no Chile, segundo o Ministério do Interior local.

A rádio chilena Bío Bío informou que, até agora, não há nenhuma ordem de prisão contra Fortún emitida pela polícia internacional ou emanada pelo consulado boliviano.

O subsecretário do Interior do Chile, Rodrigo Ubilla, afirmou que Fortún ingressou no país no último dia 18 em um voo da companhia aérea LAN proveniente do Peru. Ele possui visto de turista e, portanto, pode permanecer até três meses no Chile.

O ex-ministro, opositor ao governo do presidente boliviano, Evo Morales, e atualmente candidato à prefeitura de La Paz, deveria se apresentar ao Ministério Público no próximo dia 6 devido para uma audiência.

Seu nome aparece em investigações de esquemas de desvios de dinheiro durante o período em que foi secretário de Estado, no mandato de Banzer.

Acredita-se que ele tenha recebido cerca de 18 milhões de pesos bolivianos das mãos do diretor administrativo do Ministério do Governo, Peter Sueldo, que, por sua vez teria conseguido a verba com o chefe administrativo Luis Alcázar.

Os dois estão detidos na prisão de San Pedro de La Paz, após terem sido encontradas provas do crime.

A imprensa boliviana qualificou a saída de Fortún do país como uma fuga "clandestina" para evitar a justiça.

Por sua vez, a filha do político, Ximena Fortún, disse, que seu pai se exilou "para velar por sua integridade e direitos constitucionais".