Pedofilia : o Papa foi "atingido bem no fundo", diz bispo francês

Agência AFP

PARIS - Um bispo francês que se encontrou recentemente com o papa disse nesta quinta-feira que Bento XVI foi "atingido bem no fundo" pelas acusações de pedofilia no seio da Igreja Católica.

"Não se deixa espaço para a presunção de inocência, apesar de sua vontade de transparência", declarou Monsenhor Michel Dubost, bispo de Evry, perto de Paris à rádio RTL.

O bispo foi convidado para comentar informações do New York Times segundo as quais o futuro papa, então cardeal Joseph Ratzinger, havia protegido um padre americano suspeito de ter cometido abusos sexuais contra 200 crianças portadoras de deficiência.

Bento XVI está manchado, por sua vez, pela cascata de escândalos de pedofilia no seio da Igreja Católica.

Monsenhor Dubost explicou que, desde 1990, o cardeal Ratzinger, enquanto responsável pela Congregação para a Doutrina da Fé, havia "feito de tudo" para que os casos de pedofilia não permanecessem secretos.

"Desde 1990, foi ele que nos pediu para tornar públicos estes casos, de ousar, mesmo que isto significasse um escândalo", insistiu.