Cristina Kirchner inicia visita oficial à Bolívia

Agência ANSA

LA PAZ - A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, realiza hoje uma visita oficial à Bolívia, onde firmará acordos para venda de gás natural e participará de uma cerimônia em homenagem à heroína das guerras de independência do país, Juana Azurduy.

O evento será na Casa da Liberdade. O local foi palco da assinatura da Ata de independência boliviana em 6 de agosto de 1825.

De acordo com Mario Linares, custódio da Casa da Liberdade, durante a ocasião, será executada a música "Juana Azurduy", que ficou famosa na voz da argentina Mercedes Sosa.

Cristina será recebida pelo presidente boliviano, Evo Moraes, com quem entrará no recinto para a cerimônia de honra, na qual nomeará Azurduy general do Exército argentino post mortem (expressão em latim usada frequentemente para se referir ao reconhecimento do trabalho de alguém que já morreu).

Azurduy integrava a guerrilha boliviana Republiqueta de La Laguna ao lado de seu marido, Manuel Ascencio Padilla, líder do movimento. Quando ele morreu, ela assumiu a frente de batalha e lutou pela independência do país.

Está previsto também para os dois chefes de Estado estabelecerem o dia 12 de julho, data de nascimento da heroína, "Dia da Confraternização Bolívia-Argentina".

Em seguida, Cristina e Morales devem visitar um centro esportivo, firmarão um adendo ao contrato vigente desde 2004 por meio do qual a Bolívia exporta gás natural à Argentina.

Também será analisada a construção de um gasoduto que interligará os dois países e levará o nome da heroína. Estima-se que a obra demandará investimentos de US$ 40 milhões da estatal Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB) e proporcionará um aumento na exportação do gás.

Esta é a primeira visita da mandatária argentina à Bolívia.