Vaticano diz estar ciente de suspeitas de pedofilia na Espanha

Agência ANSA

CIDADE DO VATICANO - O Promotor de Justiça da Congregação para a Doutrina da Fé, Charles Scicluna, afirmou que a Santa Sé está ciente dos 14 casos de pedofilia que teriam ocorrido de janeiro de 2001 até março de 2010 no seio da Igreja Católica da Espanha.

Responsável pelos inquéritos sobre os casos de abuso sexual cometidos por religiosos, o representante vaticano ressaltou que, por enquanto, os episódios no país europeu envolvem "investigações e não condenações".

Em contrapartida, Scicluna afirmou que as denúncias espanholas correm o risco de aumentar o número de casos conhecidos até agora. Entre as mais recentes denúncias estão incluídas a Igreja Católica de países como Irlanda, Alemanha, Áustria e Holanda.

De acordo com a imprensa espanhola, entre as suspeitas há pelo menos dez sentenças já emitidas por tribunais civis e quatro processos abertos por abusos similares cometidos por religiosos antes de 2001.

O número de sacerdotes e religiosos desta nação implicados em pedofilia é de 25, contabilizados os últimos 20 anos.

Em entrevista à imprensa local, Scicluna explicou que "a Espanha é um dos países com menos casos denunciados".

O promotor vaticano informou que um estudo realizado em 1994 e que diz respeito a todo o território nacional atesta que 4,17% dos abusos contra menores eram feitos por religiosos -- uma cifra que subia para 9% se fossem considerados somente os garotos.

Questionada sobre o assunto, a Conferência Episcopal Espanhola (CEE) não quis se pronunciar.