Obama e Calderón analisam estratégias de segurança

Agência ANSA

CIDADE DO MÉXICO - Os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e do México, Felipe Calderón, discutiram medidas para fortalecer a segurança na fronteira entre os dois países, durante uma ligação telefônica.

De acordo com um comunicado do governo mexicano, a conversa foi uma prévia para a visita que a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, fará hoje à nação vizinha para abordar estratégias de combate ao crime organizado.

A nota informa que, durante o telefonema, Obama reconheceu os esforços de Calderón e ratificou o compromisso da Casa Branca em apoiar as iniciativas contra a violência.

Os dois presidentes também falaram sobre a provável viagem que o mexicano fará a Washington em maio para analisar temas da agenda comum.

Na semana passada, o mandatário dos EUA mostrou-se indignado pelo assassinato de três pessoas ligadas ao consulado norte-americano no México. O crime ocorreu em Ciudad Juárez, município localizado na fronteira dos dois países e considerado um dos mais violentos do mundo.

Hoje Calderón se reunirá com Hillary e com funcionários do governo dos EUA, entre eles o secretário de Defesa, Robert Gates, e o chefe do Estado-Maior Conjunto, Michael Mullen, segundo informou a imprensa local.

A delegação norte-americana também contará com a presença da secretária de Segurança Interna, Janet Napolitano, e do diretor de Inteligência Nacional, Dennis Blair.

O encontro faz parte das reuniões do Grupo Consultivo de Alto Nível Estados Unidos-México e ocorrerá em meio a uma onda de violência que atinge o país presidido por Calderón.

Estima-se que, desde 2007, mais de 17 mil pessoas tenham sido assassinadas no México, sendo que a maioria dos casos é atribuída ao crime organizado.