Oficiais do Exército armados nas ruas de Bangcoc

Agência AFP

BANGCOC - Os oficiais do Exército tailandês mobilizados em postos de controle, diante dos prédios do governo e das unidades militares estarão armados, anunciou o governo, no início da segunda semana de protestos contra o primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva.

- Com os incidentes violentos do passado, o governo está inquieto com a situação atual e é necessário ajustar as medidas de segurança - disse o coronel Sunsern Kaewkumnerd.

Apenas os oficiais estarão armados, informou, antes de destacar que os militares presentes nos locais ocupados pelos manifestantes, no centro da cidade, não estarão armados.

O vice-premier Suthep Thaugsuban anunciou que a Lei de Segurança Interna (ISA), em vigor há 10 dias em oito províncias, será prorrogada na terça-feir apor uma semana em três províncias, entre elas a capital.

A ISA autoriza o governo a estabelecer postos de controle, impor um toque de recolher e limitar os deslocamentos da população.

Milhares de "camisas vermelhas", partidários do ex-premier Thaksin Shinawatra, exilado em Dubai, protestam na Tailândia há uma semana para exigir a renúncia do primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva.

Na terça-feira da semana passada eles derramaram litros de sangue diante da sede do governo. No sábado 65.000 "camisas vermelhas" protestaram nas ruas de Bangcoc, observados por 50.000 soldados, policiais e voluntários civis, desarmados.