Hillary acusa palestinos de incitar a violência

Agência AFP

WASHINGTON - A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, acusou nesta segunda-feira as autoridades palestinas de incitar a violência em função da "falsa qualificação" feita em relação à reforma da histórica sinagoga Hurva, em Jerusalém.

- Quando a reforma de uma sinagoga no bairro judeu da antiga Jerusalém é apresentada de forma deliberadamente falsa e se pede para defender os muçulmanos locais de supostos ataques, trata-se pura e simplesmente de um ato de incitação à violência - declarou.

- Estas provocações são más e devem ser condenadas porque atiçam inutilmente as tensões e põem em perigo a perspectiva de uma paz verdadeira - completou, durante discurso no congresso anual da entidade lobista pró-Israel Aipac (American Israel Public-Affairs Committee), em Washington.

- Essa sinagoga é o prelúdio da violência, do extremismo e do fanatismo religioso, e não se limita aos judeus extremistas, mas inclui também membros do governo israelense -disse Hatem Abdel Qader, responsável pela questão de Jerusalém dentro do movimento Fatah, o movimento do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.