Argentinos protestam contra morte de dois adolescentes

Agência ANSA

BUENOS AIRES - Centenas de moradores da cidade argentina de Baradero, localizada a cerca de 100 quilômetros da capital Buenos Aires, atearam fogo em edifícios públicos como forma de protestar contra a morte de dois adolescentes durante uma blitz.

Os jovens, ambos de 16 anos, morreram depois que a moto em que estavam foi supostamente derrubada por um inspetor de trânsito que os perseguiu porque eles evitaram passar pelo controle policial.

Acredita-se que o impacto da queda tenha matado os dois menores, já que eles não utilizavam equipamentos de segurança.

Amigos e familiares dos adolescentes convocaram uma mobilização e, indignadas com o episódio, dezenas de pessoas jogaram pedras contra os vidros dos prédios oficias e atearam fogo em diversas repartições, além da casa do inspetor.

Também foram registrados danos no Conselho Deliberante, no Registro Civil e no Instituto de Obra Médico Assistencial (Ioma).

O prefeito de Baradero, Aldo Carossi, afirmou que, além dos participantes da manifestação, "houve vândalos" que arrombaram certos locais para roubarem.

Os estudantes foram velados na noite de ontem em um clima de tensão, enquanto o Conselho Deliberante local pediu o afastamento dos funcionários envolvidos no ocorrido.