Obama negocia aprovação de sua prometida reforma do sistema de saúde

Agência AFP

WASHINGTON - O presidente Barack Obama está sendo aguardado neste sábado no Congresso, para uma reunião com os parlamentares democratas, na véspera de uma votação que definiu como "histórica" sobre a reforma do sistema de saúde dos Estados Unidos.

Obama estará com o conjunto de democratas da Câmara de Representantes, na presença do líder da bancada no Senado, Harry Reid, para convencê-los a aprovar o texto que busca proporcionar assistência a pelo menos 31 milhões de americanos que não possuem planos de saúde.

A presidente da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi, ainda não tem certeza de poder contar com 216 votos democratas dos 435 necessários para a aprovação de um texto ao qual os republicanos se opõem e que vem sendo motivo de ceticismo entre alguns democratas.

O plano de saúde, que representaria a maior reforma social nos Estados Unidos em 40 anos, custaria, no total, 940 bilhões de dólares em 10 anos, segundo estimativas da Comissão de Orçamento do Congresso (CBO).

Mas a reforma também poderia contribuir para reducir o déficit fiscal americano em 138 bilhões de dólares em 10 anos (2010-2019), segundo a CBO.

A iniciativa foi aprovada no Senado no dia 24 de dezembro e, desde então, passou por modificações. Se a Câmara de Representantes aprová-la domingo, Obama se apressará a promulgá-la. Caberá, então, ao Senado validar as "emendas" desejadas pela Câmara.