Tumulto em templo na Índia mata 63 mulheres

Jornal do Brasil

PRATAPGARH - Pelo menos 63 pessoas - 37 crianças e 26 mulheres - morreram quinta-feira em um tumulto dentro de um templo no norte da Índia, onde cerca de 10 mil pessoas se reuniam para buscar roupas e alimentos distribuídos gratuitamente, segundo um balanço da polícia local. O incidente ocorreu no templo hindu Ram Janki, na cidade de Pratapgarh, 650 km ao sudeste de Nova Déli, no estado de Uttar Pradesh.

A correria dentro do templo teve início quando uma grande porta de metal caiu sobre alguns fiéis. A confusão ocorreu na parte da frente da fila, onde estavam as mulheres e crianças.

Representantes do governo afirmaram que os organizadores não estavam preparados para receber a quantidade de pessoas que apareceram para encontrar Kripaluji Maharaj, um homem venerado na localidade por ter criado uma fundação de caridade que constrói escolas e hospitais, além de administrar cinco grandes templos hindus, incluindo um nos Estados Unidos

A polícia informou que 125 pessoas ficaram feridas e foram tratadas em um hospital ou no próprio local da tragédia.

Quero recuperar minha irmã suplicava uma mulher na porta do templo. Ela veio aqui para receber roupas, mas agora está morta.

Os tumultos em eventos religiosos na Índia são comuns. Nas concentrações de devotos em locais cheios e com escassas medidas de segurança, o pânico pode se propagar rapidamente e provocar situações de risco.

O pior incidente desse tipo no país ocorreu em outubro de 2008, quando cerca de 220 pessoas morreram pisoteadas e asfixiadas próximo a um templo da Fortaleza Mehrangarh, na cidade de Jodhpur.

Também em 2008, 145 peregrinos perderam a vida em uma confusão provocada pela ruptura de uma grade em um templo no noroeste da Índia