Governo afegão lança programa de erradicação de campos de papoula

Agência AFP

CABUL - O governo afegão anunciou nesta quarta-feira um plano para erradicar os campos de papoula em grande parte do país, especialmente no sul, onde grande parte dos recursos dos talibãs são provenientes destes cultivos.

"Temos um plano para 18 províncias" de um total de 34, declarou o número dois do ministério afegão do Interior, Mohamad Daud Daud.

A campanha de erradicação deve ser desenvolvida em três tempos: uma fase de advertência à população, uma de prevenção e depois a erradicação. Os camponeses receberão ajuda para se dedicar a cultivos alternativos, como os de cereais.

As áreas em que as operações militares estão ocorrendo, como Marjah, na província de Helmand, não serão incluídas no programa, enquanto os talibãs não forem desalojados e os programas de desenvolvimento lançados.

O programa começou, entretando, em alguns distritos da província de Helmand, a maior região produtora de papoula (matéria-prima do ópio e da heroína), indicou Daud.

A erradicação também se iniciou nas províncias de Nangahar e de Farah e logo começará em Kandahar, outra base talibã e centro da produção de papoula.

O Afeganistão é, de longe, o primeiro produtor mundial de ópio, com 90% da produção.

Segundo a agência da organização das Nações Unidas contra a droga e o crime (ONUDC), sua produção de ópio seguirá em queda em 2010, essencialmente devido ao mau tempo.

Ainda que não se espere uma diminuição das terras cultivadas (cerca de 123 mil hectares), o mau tempo registrado durante o período de crescimento das plantações não permitirá que os camponeses alcancem os 56 kg por hectare registrados em 2009.

A produção, que já caiu de 8.200 para 6.900 toneladas entre 2007 e 2009, segundo a ONUDC, deve seguir em queda.