Sobreviventes do terremoto no Chile organizam grupos de defesa

Agência AFP

SANTIAGO - Os sobreviventes do terremoto no sul do Chile amanheceram nesta terça-feira em pé de guerra, organizados em grupos armados de autodefesa, ao mesmo tempo em que patrulhas militares percorriam as ruas.

Em Concepción, no epicentro da região mais afetada, o toque de recolher foi ampliado até meio-dia. A cidade está tomada por milhares de pessoas que sofrem com fome e sede, além de grupos de vândalos que saqueiam lojas em busca de aparelhos de TV e computadores.

O escuro com a falta de energia elétrica levou moradores a montar barricadas e acender fogueiras para defender suas casas de eventuais grupos de saqueadores.

Com o amanhecer, enquanto o toque de recolher seguia em vigor, muitos moradores optaram por dormir um pouco, deixando as ruas quase desertas, com exceção de algum veículo ocasional e das viaturas militares.

Em Talca o panorama é similar, com ruas desertas ao amanhecer, depois que os moradores passaram a noite acordados e entrincheirados para proteger as poucas coisas que restaram, e puderam entrar em casa para descansar.

- Aqui estão saqueando até o quartel de bombeiros - denunciou na segunda-feira o comandante dos bombeiros de Concepción, Jaime Jara.