Hillary diz que Estados Unidos enviarão Hospitais de Campanha ao Chile

Agência Brasil

BRASÍLIA - A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, afirmou hoje (2) que os Estados Unidos ajudarão o Chile em várias áreas consideradas emergenciais em decorrência dos efeitos causados pelo terremoto do último dia 27. Segundo ela, serão enviados hospitais de campanha, como o Brasil fará também, unidades para a purificação de água, além de geradores de energia. A definição ocorreu depois de uma reunião com a presidente chilena, Michelle Bachelet.

Hillary informou também que deverão ser enviados ao Chile profissionais da área de saúde, assim como engenheiros para a construção de pontes mecânicas. A secretário destacou ainda que há uma amizade fraterna que une norte-americanos e chilenos.

A reunião de Hillary e Bachelet foi realizada no final da manhã de hoje. Também participaram o ministro de Relações Exteriores, Mariano Fernandez, o embaixador dos Estados Unidos no Chile, Paul Simons, e o secretário de Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Arturo Valenzuela.

Hillary é esperada no final desta tarde em Brasília. Amanhã (2) a secretária se reúne com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ministros e parlamentares. Em pauta, assuntos como o programa nuclear do Irã, alvo de suspeitas dos Estados Unidos de que esconderia a fabricação de armas, mas que conta com o apoio brasileiro.

Também devem ser discutidas questões relativas à compra de 36 aviões-caça pelo governo brasileiro, que ainda vai se definir entre modelos oferecidos por empresas dos Estados Unidos, da França e da Suécia. A secretária também deverá debater questões políticas da Venezuela, da Bolívia e de Cuba, que mantêm uma delicada relação com os Estados Unidos.

A conversa de Hillary com empresários, em São Paulo, ocorre no momento em que o Brasil ameaça retaliar os Estados Unidos por terem cobrado elevados subsídios ao algodão brasileiro. No próximo dia 8, o Brasil deve anunciar a lista de produtos norte-americanos que deverão ser retaliados.

A secretária, que iniciou sua viagem dia 28 pela América do Sul e pelo Caribe, encerra as visitas na sexta-feira (5) na Costa Rica e na Guatemala. Hillary passou pelo Uruguai, pela Argentina e pelo Chile, antes de vir ao Brasil.