Chávez nega apoio da Venezuela às Farc e ETA

Agência AFP

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, negou na noite de segunda-feira, em Montevidéu, que seu governo apoie as Farc ou o ETA, após a denúncia de um juiz espanhol sobre uma suposta cooperação das autoridades venezuelanas com os movimentos armados.

- Nós não apoiamos as Farc, nem o ETA, nem as guerrilhas, nem o terrorismo - disse Chávez após um encontro com o presidente do Uruguai, José Mujica.

Ele acrescentou que tem relação com os governos de todo o mundo, incluindo o da Espanha, ao mesmo tempo que ironizou as denúncias que vinculam Caracas a grupos armados internacionais.

- Já disseram que há células de Hezbollah na Venezuela, quase que (Osama) Bin Laden está na Venezuela, também se disse que nós estamos construindo com o Irã uma bomba atômica. É para rir, eu espero que as pessoas inteligentes do mundo deem a estas informações o espaço que têm que dar - argumentou.

Chávez rebateu assim as denúncias de segunda-feira de um juiz da principal corte espanhola sobre uma "cooperação governamental venezuelana" com um plano do grupo separatista ETA e da guerrilha colombiana das Farc para assassinar personalidades colombianas na Espanha. O complô incluiria o presidente Alvaro Uribe.

O presidente do governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, confirmou que Madri pediu explicações a Caracas.