Violação a toque de recolher deixa um morto e 160 presos

Agência AFP

SANTIAGO - Pelo menos uma pessoa morreu e 160 foram presas por não respeitarem o toque de recolher imposto nas áreas mais devastadas pelo grande terremoto do último sábado no Chile.

A morte ocorreu em Chiguayante, na periferia de Concepción. O toque de recolher de nove horas teve início às 21h locais (mesmo horário de Brasília) em Concepción, que fica 500 km ao sul de Santiago, uma das áreas mais afetadas pelo tremor e que no domingo registrou muitos saques a grandes lojas e supermercados.

A polícia teve que intervir com gás lacrimogêneo e jatos d'água para dispersar as centenas de pessoas que invadiram os mercados para levar alimentos, além de outros produtos, como máquinas de lavar roupa e aparelhos de TV de plasma.

As cenas levaram a presidente Michelle Bachelet a anunciar que garantiria a entrega gratuita de todos os produtos de primeira necessidade nas zonas afetadas, em particular em Concepción.

Este é o primeiro toque de recolher decretado no Chile 20 anos após a queda da ditadura de Augusto Pinochet.

Na região vizinha de Maule, que registra a maioria dos mortos e desaparecidos, o toque de recolher não foi adotado, já que as autoridades consideraram a situação sob controle.