Prefeito busca hospedagem para 1,7 mil chilenos em SC

Portal Terra

FLORIANÓPOLIS - O prefeito de Balneário Camboriú, município do litoral norte de Santa Catarina, decretou Estado de Vulnerabilidade Temporária para poder atender os 1,7 mil chilenos que permanecem sem hotéis e sem poder retornar ao país devido ao terremoto deste sábado.

Edson Dias utilizou um dispositivo da lei orgânica do município que permite o atendimento emergencial aos visitantes, que chegaram ao país em 14 voos fretados por companhias de turismo e precisaram deixar os hotéis na tarde deste domingo.

- Não podemos deixar essas pessoas desabrigadas, sem hotel e sem alimentação. Muitas vieram com o dinheiro contado para apenas os dias do pacote turístico - afirmou o prefeito. - O poder público tem essa obrigação e no mesmo momento que fomos informados do problema já colocamos a nossa equipe para trabalhar, criando um comitê de crise e buscamos uma solução com o governador - acrescentou.

O governo catarinense também deverá auxiliar os turistas, que se aglomeraram na porta de hotéis à espera de um quarto depois do vencimento dos pacotes. Técnicos da Defesa Civil estadual chegaram à cidade para tentar auxiliar a encontrar leitos para centenas de visitantes e restaurantes para providenciar alimentação.

- Estamos buscando o apoio dos hotéis e restaurantes para que nenhum desses turistas fique desamparado - disse Edson.

Em apenas um dos hotéis estão hospedados cerca de 500 chilenos. Vários permaneceram horas na portaria durante a tarde na espera por uma solução. Javier Gusman e Ester Suaço, moradores da região de Concepción, chamaram a atenção por conseguirem falar com os filhos após dois dias de ansiedade.

Eles deveriam ter retornado para o Chile ainda no sábado e estavam sem notícias sobre a família. Conseguiram o contato diante das câmeras e emocionados, pediram para que os dois filhos "não se separassem". - Eles estão bem, apenas a casa sofreu alguns danos - disse Gusman.

O chileno Victor Alvarez, da cidade de Los Angeles, localizada também na região de Concepción, é um dos mais apavorados. Há dois dias sem notícias de familiares, acompanha o que ocorre em seu país apenas pela televisão. - Estou preocupado com meus familiares pois até agora não obtive nenhum contato, nenhuma notícia - afirmou.

Além dos voos fretados em Balneário Camboriú, pelo menos mil turistas argentinos permanecem sem ter como deixar Florianópolis. Doze embarques para o Chile foram cancelados no aeroporto internacional Hercílio Luz neste final de semana.