Mãe de transexual brasileiro pede que Itália devolva corpo

Agência ANSA

ROMA - A mãe do transexual brasileiro Brenda, envolvido em um escândalo sexual que causou a renúncia do ex-governador da região italiana do Lácio Piero Marrazzo, fez um apelo para que as autoridades do país europeu liberem o corpo de seu filho, morto em novembro.

- Quero dar uma sepultura digna para meu filho. Há três meses seu corpo está em uma câmara fria como se fosse um sorvete. Ao contrário, é um ser humano - disse Azenete Mendes Paes.

- Tenho o direito de fazer um funeral digno. Meu coração não suporta mais a dor. Quero encontrar paz - afirmou a mãe de Brenda em uma carta enviada a uma emissora italiana.

A mesma carta, que compreende duas folhas de caderno escritas à mão, será entregue amanhã pelos advogados da família à embaixada brasileira em Roma. Em outubro do ano passado, a imprensa italiana afirmou que quatro policiais foram detidos tentando extorquir Piero Marrazzo. Eles pediam 80 mil euros em troca de um vídeo no qual o ex-governador do Lazio poderia ser visto com travestis - sendo um deles o brasileiro.

Um mês depois, o corpo de Brenda foi encontrado carbonizado em seu apartamento em Roma. Não foram identificados sinais de lesões físicas. A autópsia confirmou que ele morreu por asfixia ao inalar fumaça quando o local pegou fogo. - O meu sofrimento aumenta a cada dia e tenho a impressão de que as autoridades italianas querem que o caso seja esquecido e jogado no lixo - disse Azenete.

- Na noite em que Brenda morreu, alguns policiais foram vistos entrando em seu apartamento. Há um mês pedi uma inspeção dos nossos peritos. A procuradoria de Roma ainda não autorizou. Quero saber a verdade sobre como morreu meu filho - disse ela. Ainda na carta, a brasileira afirma que recebeu informações de amigos de Brenda que confirmam seu relacionamento com o ex-governador do Lazio.