Lula visita Chile e anuncia ajuda após terremoto

Agência AFP

SANTIAGO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou ao Chile nesta segunda-feira para manifestar pessoalmente sua solidariedade ao povo chileno e anunciar a ajuda do Brasil após o terremoto que deixou 723 mortos no país.

"Venho para expressar minha solidariedade ao povo chileno e a presidente Michelle Bachelet, mas, especialmente, para prestar minhas condolências aos parentes das vítimas que morreram", disse Lula em entrevista concedida na pista do Aeroporto de Santiago, durante uma visita relâmpago ao Chile.

Primeiro líder estrangeiro a visitar o país após o terremoto, Lula afirmou que "nós seremos solidários ao Chile, e já disse à presidente (Michelle Bachelet) que ela pode contar conosco (...) que pode me chamar a hora que quiser".

O presidente anunciou o envio de dois grupos de resgate e de um "grande hospital de campanha, da Marinha", que deve chegar ao Chile a partir desta quarta-feira em aviões Hércules.

Lula revelou que, felizmente, não há informação de brasileiros entre as vítimas do terremoto, e disse que espera a rápida recuperação do Aeroporto de Santiago para que os cidadãos do Brasil possam voltar ao país.

O presidente destacou que se a recuperação do aeroporto não for rápida, analisará com Bachelet um modo de retirar os brasileiros do Chile, com o auxílio de aviões da Força Aérea Brasileira.

Lula admitiu que "vai ser difícil reconstruir tudo o que foi destruído", mas lembrou que "o povo chileno está acostumado" a enfrentar este tipo de catástrofe". "Vamos trabalhar e ajudar o Chile na reconstrução e a voltar a ser o país extraordinário que sempre foi".

O presidente destacou que é preciso ter "paciência" para se obter uma real avaliação "das coisas que o Chile necessita". "Não podemos enviar coisas que não são necessárias...".

"Graças a Deus, o Chile é muito estruturado, mais preparado que outros países, porque tem uma história diferente".

Lula estimou que "o povo chileno não merecia uma catástrofe como esta, que Bachelet não merecia", e lembrou que o "Brasil está presente, assim como o povo chileno esteve presente no Brasil nos momentos difíceis de sua história política".

Bachelet destacou o gesto de Lula, que "preferiu vir para saber qual é o apoio mais efetivo que o Chile necessita". "É um gesto que o honra como presidente e como amigo do Chile. Amanhã, chegará o primeiro avião com alguns dos elementos que acertamos que são necessários".

O terremoto afetou mais de dois milhões de chilenos e há 1,5 milhão de residências danificadas no país.