Japão pede desculpas por alerta máximo de tsunami

Agência AFP

TÓQUIO - O governo do Japão admitiu nesta segunda-feira que as autoridades do país exageraram ao ativar o alerta máximo de tsunami pela primeira vez em 15 anos, com a ordem de retirada de meio milhão de pessoas da costa do Pacífico.

- As previsões da agência (meteorológica) sobre a magnitude do tsunami foram um pouco excessivas. Peço desculpas pelo alerta prolongado - declarou Yasuo Sekita, um dos diretores da agência responsável por terremotos e tsunamis.

As autoridades ativaram no domingo o alerta máximo para tsunamis em três municípios do norte do Japão, com previsões de ondas superiores a três metros geradas pelo violento terremoto de sábado passado no Chile.

Mas as ondas máximas não passaram de 120 centímetros. Portos e estradas foram inundados, mas a situação não provocou vítimas nem danos consideráveis.

O Japão foi o último país a suspender o alerta de tsunami.