Dirigente do Hamas assassinado foi drogado e asfixiado, diz polícia

Agência AFP

EMIRADOS ÁRABES UNIDOS - Os assassinos de Mahmud Al-Mabhuh, dirigente do grupo radical Hamas morto em janeiro, utilizaram uma droga para imobilizá-lo e depois o asfixiaram, anunciou neste domingo a polícia de DUbai, citando os resultados de sua perícia.

"Os assassinos usaram um calmante, a succinilcolina, para paralizá-lo antes de asfixiá-lo", indicou em um comunicado o subdelegado da polícia do emirado, general Jamis Mattar al Mazeina.

Mahmud Al-Mabuh, considerado por Israel uma peça essencial no sistema de contrabando de armas para a Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas, foi encontrado morto em um quarto de hotel no dia 20 de janeiro e, Dubai.

A polícia de Dubai acusa o Mossad, serviço secreto israelense, pelo crime, mas o governo de Israel nega envolvimento no caso