Rússia insatisfeita com atitude dos EUA em relação ao ópio afegão

Agência AFP

RÚSSIA - Um alto funcionário russo encarregado da luta contra o narcotráfico criticou neste sábado a atitude dos Estados Unidos em relação à produção de ópio no Afeganistão, num momento em que a Rússia enfrenta uma onda de overdoses por heroína, informou a agência russa.

"As declarações públicas dos Estados Unidos sobre a recusa em destruir as plantações de ópio, mesmo na opinião dos afegãos, são uma garantia sólida de impunidade para os produtores da droga no país", declarou Viktor Ivanov, diretor do serviço federal de controle dos narcóticos.

Depois de assumir suas funções em 2009, o presidente americano, Barack Obama, iniciou uma mudança na política americana de destruição sistemática das plantações de papoula no Afeganistão, estimando que isto prejudica a parcela mais pobre da população, que vive do cultivo.

A decisão, no entanto, gerou preocupações em Moscou, que sofre com um grave problema de saúde pública causado pelo consumo de heroína: pelo menos 30.000 russos morreram em 2009 depois de ter consumido heroína proveniente do Afeganistão.