Talibã mata ao menos 16 em Cabul

Jornal do Brasil

CABUL - Pelo menos 16 pessoas entre elas um um cineasta francês, um diplomata italiano e vários funcionários da embaixada da Índia morreram sexta-feira em atentado coordenado por terroristas suicidas talibãs, que tinham como alvo hotéis ocupados por estrangeiros em pleno Centro de Cabul.

No início da manhã, um primeiro terrorista suicida detonou um carro-bomba diante de um dos hotéis, o Aria, enquanto dois outros, com roupas repletas de explosivos, invadiram o o Park Residence, ao lado do primeiro, contou o chefe da Polícia de Cabul, general Abdul Rahman Rahman. Segundo o oficial, um hóspede italiano do hotel chegou a transmitir informações para os policiais por telefone sobre a posição dos terroristas, até ser morto por um deles.

Foi um homem corajoso e nos passou preciosas informações graças às quais a polícia conseguiu evacuar sãos e salvos quatro outros italianos explicou o chefe de polícia.

A vítima/informante era o diplomata Pietro Antonio Colazzo, segundo o ministro italiano das Relações Exteriores, Franco Frattini

Enquanto clientes e funcionários deixavam o Residence Park pelas janelas, os policiais invadiram o edifício. Um dos terroristas acionou explosivos em um quarto, matando três policiais, e o segundo resistiu antes de ser morto.

O chefe de governo italiano, Silvio Berlusconi, lamentou a morte do diplomata da embaixada italiana no Afeganistão.

Recebo com muita dor a notícia da morte do diplomata Pietr o Antonio Colazzo no atentado cometido nesta sexta-feira, em Cabul. Um fiel servidor do Estado que morreu cumprindo com seu dever num país martirizado por infames atos terroristas , declarou Berlusconi, em nota. A Itália está no Afeganistão para proteger a população civil da loucura da violência e da intolerância, ante as quais sentimos o dever de nos opor .

O ataque deixou 16 mortos, segundo o porta-voz do Ministério do Interior, Zemarai Bashary.

O ministro indiano das Relações Exteriores, S.M. Krishna, indicou que há até nove vítimas indianas.

Documentarista

O documentarista francês Séverin Blanchet, que dedicava-se à formação de jovens cineastas afegãos, também morreu no ataque, segundo o ministro francês das Relações Exteriores, Bernard Kouchner. Blanchet, de 66 anos, se dedicava, desde 2006, à formação de jovens cineastas afegãos e realizou com eles mais de 20 filmes, vários elogiados pela crítica internacional , destacou o ministro.

Prosseguiremos com determinação a obra com a qual se comprometeu com generosidade e solidariedade afirmou Kouchner.

O ministro também condenou com firmeza o atentado, destacando que os terroristas fizeram prova, novamente, de seu pouco caso com a vida humana, visando com selvageria os civis

Reivindicamos o ataque, declarou por telefone à agência AFP Zabihullah Mujahed, porta-voz dos insurgentes islamitas.

Oito combatentes nossos realizaram o ataque, um detonou seu carro-bomba diante de um hotel, outros dois também ativaram suas bombas. Os outros permanecem presentes no local assegurou.

Em 2010, cem baixas nas forças internacionais

A insurreição dos talibãs se intensificou consideravelmente e se estendeu por quase todo o país nos últimos anos. O ataque de sexta-feira acontece quando 15 mil soldados das forças internacionais e afegãs estão envolvidos há 13 dias numa ampla ofensiva contra um feudo talibã na província de Helmand, no sul do país. Na quinta-feira, apesar de não considerar a batalha encerrada, as forças de segurança hastearam uma bandeira afegã em Marjah, em sinal de vitória, numa cerimônia pública cercada de segurança e com a presença da população local.

Apesar da presença de 121 mil soldados das forças internacionais no Afeganistão, as ações da guerrilha e os atentados talibãs dizimam cada vez mais os militares estrangeiros. Em 2009, morreram 520 no país, tendo sido o mais mortífero dos oito anos de guerra.

Cem soldados das forças internacionais já morreram no Afeganistão durante os dois primeiros meses de 2010.