Setor de aviação nos EUA promete melhorar a segurança

JB Online

GENEBRA - Representantes do setor de aviação concordaram com a decisão da secretária americana da Segurança Interna, Janet Napolitano, em intensificar a colaboração para melhorar a segurança aérea, durante reunião em Genebra.

A reunião, a primeira deste nível entre o setor e as autoridades americanas, é "muito importante", destacou o diretor-geral da IATA, Giovanni Bisignani. "Trata-se de uma reunião histórica sobre a segurança aérea", insistiu.

Ela será seguida "nas próximas semanas" por uma reunião entre técnicos da IATA, do departamento americano da Segurança Interna e da Administração americana da Segurança dos Transportes (TSA, sigla em inglês) em Washington, anunciou à AFP Ken Dunlap, funcionário da IATA encarregado da segurança na América do Norte.

Os Estados Unidos reforçaram as medidas de segurança nos voos que chegam a seu território depois do atentado frustrado de 25 de dezembro, quando um nigeriano tentou explodir um avião da Northwest Airlines entre Amsterdã e Detroit (norte dos EUA).

A segurança custa 5,9 bilhões de dólares por ano às companhias aéreas, que repassam este custo aos passageiros, lembrou o diretor da IATA, uma organização que reúne 230 companhias responsáveis por 90% do tráfego aéreo mundial e tem sede em Genebra.