Haiti: chanceler italiano pede continuação de buscas por sobreviventes

Agência ANSA

ROMA - O chanceler italiano, Franco Frattini, pediu nesta quinta-feira que as buscas por vítimas do terremoto no Haiti não sejam interrompidas, já que até esta quarta-feira sobreviventes continuavam a ser encontrados com vida sob os escombros.

- Nestas horas se está decidindo a suspensão definitiva das procuras, mesmo que ontem tenham sido encontradas algumas pessoas vivas. Por isso, francamente, quaisquer esforços posteriores, na minha visão, ainda devem ser feitos - afirmou Frattini.

O terremoto que se abateu sobre o Haiti no último dia 12 atingiu 7 graus na escala Richter e foi o mais intenso dos últimos 200 anos. A capital Porto Príncipe ficou devastada, deixando milhares de mortos e um milhão de desabrigados.

Há também inúmeros desaparecidos, entre os quais dois cidadãos italianos que estariam no país caribenho no momento do tremor e ainda não foram localizados pela Chancelaria.

- Ainda temos somente dois conterrâneos que faltam, no sentido de que não sabemos onde se encontram. Outros dois foram declarados de qualquer modo definitivamente perdidos, uma forma que obviamente não esconde nossa extrema preocupação - declarou o ministro das Relações Exteriores em entrevista à imprensa italiana.

Os dois são uma funcionária da Organização das Nações Unidas, cuja sede no Haiti ruiu deixando dezenas de mortos e centenas de desaparecidos; e uma pessoa que se encontrava em uma área que foi completamente destruída.

- Havia cerca de 200 italianos. Hoje não sabemos realmente onde estão somente duas pessoas e talvez nem estejam mais no Haiti. Pelos outros dois, temos grandíssimas preocupações - completou Frattini.

Além de manter em Porto Príncipe equipes de buscas e socorro, a Itália está contribuindo financeiramente e com mantimentos para a assistência às vítimas.

- Pelo resto temos tudo sob controle, nos limites nos quais esta palavra pode ser usada - explicou o chanceler.