Haiti: centenas de brasileiros procuram embaixada para adotar crianças

Agência Brasil

BRASÍLIA - A embaixada do Haiti em Brasília já recebeu cerca de 900 e-mails com pedidos de adoção de crianças haitianas por brasileiros. A procura, de acordo com a adida cultural da embaixada, Norma Cooper, começou depois do terremoto de 7 graus na escala Richter registrado na capital do país caribenho, Porto Príncipe, na semana passada.

Em entrevista à Agência Brasil, Norma explicou que, no momento, a orientação para todos os brasileiros que têm interesse em adotar uma criança haitiana é enviar um e-mail para o endereço [email protected] Isso porque a embaixada ainda analisa, com o governo brasileiro, qual o procedimento a ser adotado nesses casos.

- É preciso ver a lei porque as crianças têm que entrar em território estrangeiro - disse.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) divulgou comunicado expressando preocupação diante da situação de crianças haitianas que foram separadas dos pais após os tremores de terra. - Essas crianças encaram altos riscos de desnutrição e doenças, além do tráfico, abuso sexual e sério trauma emocional - disse.

O organismo, entretanto, defende que a adoção internacional seja considerada apenas como última alternativa. Todos os esforços, de acordo com o Unicef, devem ser voltados para unir as crianças aos seus parentes.