Haiti: satélite da Embrapa vai definir áreas prioritárias

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu, no início desta semana, imagens de satélite de alta resolução do Haiti, produzidas pela Embrapa Monitoramento por Satélite, de Campinas, interior paulista. As imagens foram captadas um dia depois do terremoto que destruiu o país e foram solicitadas pela Presidência da República em caráter de urgência. A documentação está sendo usada para que as autoridades brasileiras avaliem os impactos do terremoto e tracem as estratégias de segurança e de ajuda humanitária necessárias ao país.

Segundo o pesquisador da Embrapa Monitoramento por Satélite Evaristo de Miranda, o órgão atua fornecendo imagens do Haiti para auxiliar a missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), chefiada pelo Brasil desde 2004.

As imagens foram apresentadas também ao embaixador do Haiti em Brasília, Idalbert Pierre-Jean, que encaminhou cópias dos documentos ao presidente do Haiti, René Préval.

Miranda explicou que as imagens foram feitas pelo satélite Geo-Eye-1 com definição de 50 centímetros, o que permite ver detalhes do que aconteceu nas áreas urbanas, terminais e portos, telecomunicações e em instalações e partes de infraestrutura do país. Todas as imagens vêm em pares, com o antes e o depois do terremoto.

Dessa forma pode-se definir onde há áreas livres e adequadas para receber doações, distribuir ajuda e implantar campos de refugiados ou de assistência sanitária, além de locais para enterrar os mortos explicou Miranda.

Além da Presidência, as imagens foram encaminhadas também para o Ministério da Defesa e para o gabinete de crise. Até o final desta semana parte das imagens estarão disponíveis no site da Embrapa para que organizações da sociedade civil e outros órgãos que estejam prestando ajuda ao país tenham acesso.