Haiti: Plano Marshall, feito para a Europa, é usado como modelo

Jornal do Brasil

PORTO PRÍNCIPE - O Plano Marshall foi um projeto de recuperação econômica dos países atingidos pela Segunda Guerra Mundial, parte da Doutrina Truman, anunciada em 1947 pelo presidente dos Estados Unidos, Harry Truman. Ao todo, foi investido o montante de US$ 14 bilhões na reconstrução da Europa.

Quando o plano foi concluído, a economia de cada país participante, com a exceção da Alemanha, havia crescido consideravelmente acima dos níveis pré-guerra. Durante as duas décadas seguintes, a Europa Ocidental se fortaleceu economicamente.

Com a devastação provocada pela guerra, a Europa enfrentava cada vez mais manifestações de contestação aos governos locais. Os Estados Unidos analisaram a crise europeia e concluíram que ela colocava em risco o futuro do capitalismo, o que poderia prejudicar sua própria economia, dando espaço para a expansão do comunismo.

O governo americano forneceu para os países matérias-primas, produtos, créditos e doações e, em contrapartida, o mercado europeu não impôs restrições às atividades das empresas dos EUA.

O Plano Marshall também é visto como um dos primeiros elementos da integração europeia, já que anulou barreiras comerciais e criou instituições para coordenar a economia em nível continental.