Haiti: Jobim pede mais tropas para o Congresso

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - Atendendo a projeto de decreto legislativo enviado pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, o presidente do Congresso Nacional, José Sarney (PMDB-AP), informou quarta-feira que vai convocar a comissão representativa responsável pelos trabalhos legislativos durante o recesso parlamentar para votar já na próxima segunda-feira um pedido emergencial de envio de mais brasileiros para a missão de paz das Nações Unidas no Haiti, a Minustah. O reforço no contingente brasileiro seria de 800 a 1.300 militares e policiais.

A comissão representativa é formada por deputados e senadores que estão aptos para votar matérias de caráter urgente durante o período de recesso legislativo, dispensando a necessidade de quórum. Jobim ligou quarta-feira para Sarney pedindo pressa na votação. Segundo o próprio ministro, foi solicitado aos parlamentares que autorizassem o envio de um contingente ainda maior do que o Senado informou inicialmente que constava no decreto para que o governo brasileiro possa atender, inclusive, eventual demanda adicional da ONU no futuro.

Quarta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou por telefone com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, sobre a situação do Haiti e informou ao chefe da entidade internacional que o Brasil realmente está disposto a direcionar mais do que os US$ 15 milhões que já haviam sido anunciados pelo país para a ajuda ao Haiti após o terremoto que devastou grande parte do país caribenho. A equipe econômica do governo pretende redirecionar recursos do Orçamento de 2010 para que o total alcance pelo menos a quantia de US$ 19 milhões.

De acordo com o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, US$ 5 milhões já estão sendo encaminhados diretamente para a conta da ONU em Nova York.

Além do programa que já estamos fazendo pelo Brasil, temos outros programas pelo fundo Ibas (Índia, Brasil e África do Sul). O que pudermos fazer a mais será para a reconstrução do Haiti afirmou o chanceler. Segundo Amorim, no telefonema com Lula, Ban Ki-moon agradeceu o Brasil pelos esforços de ajuda humanitária ao Haiti e reiterou suas condolências pela morte do diplomata brasileiro Luiz Carlos da Costa, segundo na linha de comando da Minustah.

O secretário-geral da ONU também agradeceu a iniciativa do governo brasileiro de reforçar a presença no Haiti com o envio de mais militares para a missão de paz. No telefonema, Lula e Ban Ki-moon também falaram sobre a coordenação da atuação da Minustah com as outras forças que estão sendo enviadas por diversos países do mundo.

Coordenação

O presidente Lula relatou a conversa que teve com o presidente norte-americano, Barack Obama, e salientou o desejo de que a coordenação de todas as ações no Haiti seja mantida com as Nações Unidas. Lula e o secretário da ONU também concordaram sobre a necessidade de, aos poucos, deixar que a ajuda ao país caribenho seja prestada pelos agentes humanitários e fazer com que a Minustah volte a se dedicar à manutenção da paz. O Palácio do Planalto planeja editar ainda quinta-feira uma medida provisória com a liberação dos recursos adicionais do governo brasileiro para a reconstrução do Haiti.