Haiti: hospital de campanha entra em funcionamento

Jornal do Brasil

PORTO PRÍNCIPE - O hospital de campanha montado pela equipe de ajuda humanitária no Haiti já funciona a pleno vapor. A haitiana Banatte Pierre, de 37 anos, foi a primeira pessoa a passar por uma cirurgia na instalação montada pelo governo brasileiro em Porto Príncipe, capital do Haiti.

O procedimento na haitiana ferida foi uma operação que resultou na amputação do pé da paciente. A mulher sofreu ferimentos com a queda de um muro de uma igreja no centro da cidade, no momento do terremoto. Os médicos avaliaram que a cirurgia era o único procedimento recomendável diante da situação. Com os tremores, Banatte perdeu ainda uma filha de 3 anos.

A Aeronáutica informou que de agora em diante a triagem de pacientes será feita diariamente pela equipe de enfermagem da Força Aérea Brasileira (FAB). Além da cirurgia de Banatte, também já foram realizados dois exames de ultrassonografia. Um deles, inclusive, confirmou o bom estado da gestação de oito meses de uma mulher ferida no terremoto.

O hospital de campanha foi instalado em uma área ao lado da base brasileira General Bacelar, em Porto Príncipe. O espaço fica no bairro de Tabarre, a cerca de 10 quilômetros do centro da capital. A equipe, formada por 48 militares da área de saúde, é composta por profissionais de várias especialidades da medicina, enfermagem, odontologia e farmácia. Segundo os militares, o hospital tem capacidade para realizar até 400 atendimentos diários.

Suprimentos

Segunda-feira, mais um avião da FAB decolou da Base Aérea do Rio em direção ao Haiti levando alimentos para a população arrasada pelo terremoto do dia 12. O Boeing 707 saiu ainda de madrugada carregado com 14,8 toneladas de mantimentos. Até o momento, 14 aviões da FAB já levaram mais de 150 pessoas e 100 toneladas de carga, que incluem equipamentos de saúde, alimentos, medicamentos e água. A Aeronáutica pretende manter entre dois e três voos diários para o Haiti.