Haiti: alimentos, água potável e cobertores para 100 mil

Jornal do Brasil

PORTO PRÍNCIPE - Apesar do clima conturbado no Haiti, a ajuda humanitária está chegando ao país. O Programa Mundial de Alimentos (PMA) da ONU informou ontem que entregou alimentos na área da capital Porto Príncipe para quase 100 mil vítimas do terremoto de 7 graus na escala Richter que devastou o país há quase uma semana, na terça-feira passada.

De acordo com comunicado distribuído ontem na sede das Nações Unidas, em Nova York, o PMA entregou no sábado alimentos ricos em proteínas a 40 mil pessoas e entregaria mais comida a outras 60 mil pessoas, incluindo refeições quentes no domingo.

A ONU também distribuiu alimentos em Leogane, a 18 quilômetros de Porto Príncipe e muito próxima ao epicentro do sismo, onde praticamente todos os edifícios estão destruídos e dezenas de milhares de pessoas morreram . Os sobreviventes acamparam ao ar livre. Nessa região, o PMA instalou dois pontos de distribuição de alimentos . A missão internacional das Nações Unidas no Haiti (Minustah) faz a segurança de comboios de distribuição e armazéns de alimentos.

Sete hospitais de campanha enviados por diferentes países já chegaram a Porto Príncipe, onde uma das maiores prioridades é atender os milhares de feridos. Elizabeth Byrs, porta-voz do escritório humanitário da ONU, disse que três desses hospitais de campanha já estão plenamente em operação .

Também já está em andamento a distribuição de água potável, com caminhões-pipa provenientes da vizinha República Dominicana. A Cruz Vermelha informou que instalou banheiros para o uso de mil pessoas e distribuiu kits de material para dois mil pacientes em dois hospitais. Cerca de 500 funcionários da rede internacional Cáritas estão distribuindo 30 mil litros de água potável, assim como pacotes de alimentos, cobertores e tendas, a mais de 50 mil pessoas em Porto Príncipe.