Novo tremos de terra assusta população do Haiti

JB Online

RIO DE JANEIRO - No início da tarde deste sábado, às 14h50, um tremor de terra assustou a população e as equipes de apoio internacionais baseadas no Haiti. De acordo com jornalistas brasileiros que acompanham a tragédia no país, na sala de imprensa da base brasileira armários começaram a tremer. Militares orientavam os jornalistas para deixarem o prédio.

Nas ruas, apesar de não haver mais corpos espalhados pelas ruas, a situação ainda é caótica. Falta comida e água, e muitos haitianos continuam a saquear supermercados locais. Hoje à tarde a polícia tentava impedir um novo saque e chegou ao mercado atirando para o alto. Brigas entre moradores também são constantes. Cada um tentando acumular mais água e comida para os seus familiares.

Fora da base militar brasileira ou do acompanhamento dos militares, o nível de segurança para a cobertura jornalística é muito baixo. Ao saírem dos carros de reportagens, os profissionais são cercados por muitos populares que, desesperados, imploram por dinheiro, água e comida.

Os esforços internacionais para a reconstrução do país parece não chegar com facilidade à população. Por mais que aviões americanos, israelenses, espanhóis e brasileiros possam ser vistos com frequência cruzando o céu de Porto Príncipe, os haitianos instalados no centro da cidade parecem não receber tais serviços de auxílio e mantimentos.