Haiti: emoção marca o retorno de sobreviventes brasileiros

Jornal do Brasil

GUARULHOS - Dezesseis militares brasileiros que trabalhavam na Missão de Paz da ONU chegaram sexta-feira ao Brasil. Eles foram transportados em um avião da Força Aérea Brasileira e desembarcaram na base aérea do aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP), por volta do meio-dia. O tenente-coronel Alexandre José Santos e o cabo Daniel Coelho da Silva precisaram ser transportados em macas para hospital próximo devido a gravidade dos ferimentos.

Os sobreviventes foram atendidos por uma equipe de médicos e enfermeiros ainda dentro do avião. Os profissionais recomendaram a remoção imediata de Santos e Coelho, que foram levados de maca até a ambulância que os conduziu para o hospital. O restante do grupo sofreu escoriações, pequenas lesões e fraturas. Todos foram recebidos por parentes e se emocionaram.

O grupo vai ficar de quarentena durante três dias, segundo o general Eduardo Wizniewsky, comandante da 2ª região militar.

Atentado

O cabo Carlos Michael Pimentel de Almeida, 23 anos de idade, dormia quando houve o terremoto. Ele estava no último andar do Ponto Forte 22, um prédio de três pavimentos também conhecido como Casa Azul uma das sedes das tropas brasileiras. No momento do tremor, Almeida estava acompanhado de sete militares, mas apenas quatro sobreviveram. Ao relembrar a tragédia, o cabo diz que precisou levantar uma laje que caiu sobre sua cabeça.

Pensei na hora que tinha sido um atentado, que tinha explodido uma bomba. Sobrevivi, os outros colegas não tiveram a mesma sorte resignou-se o cabo, que é membro do 5º Batalhão de Infantaria Leve de Lorena (SP).

Após se desvencilhar dos destroços, ele saiu atrás de outros agentes de segurança para ajudar a localizar sobreviventes.

Foi o pior dia da minha vida, queria fazer muita coisa, mas não podia fazer nada desabafou.

No Rio, mais reencontros

Quatro sobreviventes brasileiros no Haiti também desembarcaram sexta-feira na Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador. Paulo Victor Micoline de Moraes e João Carlos Micoline de Moraes, filhos da funcionária brasileira da ONU, Eliana Micoline, estavam hospedados no Hotel Montana, onde poucos sobreviveram ao tremor.

Paulo César Lima e Marcelo Pereira, que trabalhavam na capital haitiana, também desembarcaram do Hércules C-130 da FAB. Um dos jovens estava com um ferimento nas mãos.

A aeronave chegou em solo brasileiro às 22h de quinta-feira, em Roraima, mas só seguiu para o Rio de Janeiro na manhã seguinte, às 8h. Outras aeronaves estão previstas para chegar sábado ao Rio, mas a Aeronáutica não confirmou se trarão brasileiros.