Itália: Ministério da Saúde deve aprovar scanners corporais

Agência ANSA

ROMA - O ministro da Saúde da Itália, Ferruccio Fazio, comentou hoje que os equipamentos para escaneamento corporal que o governo do país europeu pretende implantar em aeroportos só serão comprados após parecer favorável de sua equipe.

Segundo ele, os efeitos da radiação liberada pelos scanners vão ser analisados por um grupo de quatro pessoas.

- Em teoria, as radiações chamadas 'ionizantes' podem apresentar mais riscos. Não podemos excluir nenhuma hipótese, sobretudo quando se trata de mulheres grávidas, crianças ou viajantes frequentes - explicou Fazio em entrevista ao jornal La Stampa.

A comissão ministerial deverá dizer "o que é seguro para quais cidadãos e quais precauções usar para os sujeitos em risco", acrescentou.

Ontem, o titular do Interior da Itália, Roberto Maroni, anunciou que em até três meses os aeroportos de Fiumicino (Roma), Malpensa (Milão) e Veneza terão scanners corporais instalados em seus terminais como medida antiterrorismo.

Hoje, o ministro voltou a defender a iniciativa que, segundo críticos, além de trazer eventuais riscos à saúde, poderia invadir a privacidade dos passageiros. De acordo com ele, os equipamentos são "instrumentos seguros".

- Para resolver as dúvidas constituímos junto ao colega [da pasta de Infraestrutura e Transportes, Altero] Matteoli uma comissão técnica para avaliar as consequências sobre a saúde e a privacidade - explicou em um programa da imprensa italiana.

Maroni garantiu ainda que os scanners corporais "serão muito úteis para combater formas de terrorismo que assustam e são difíceis de interceptar sem os instrumentos que a tecnologia põe à nossa disposição".