Jerusalém oriental terá mais prédios

Jornal do Brasil

JERUSALÉM - A Prefeitura de Jerusalém autorizou a construção de quatro prédios de apartamentos no lado oriental da cidade, diminuindo ainda mais as chances de se chegar a um acordo de paz com os palestinos, que classificam a decisão como uma tentativa de minar a possibilidade de entendimento entre os dois lados.

Em relação ao governo municipal, a construção pode começar disse Stephan Miller, porta-voz do prefeito de Jerusalém, Nir Barkat, após seu comitê de planejamento ter autorizado a construção do complexo, de 24 unidades, no Monte das Oliveiras.

O presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, garante que não retomará as conversas de paz com Israel, suspensas em 2009, até que o país suspenda a expansão de seus assentamentos nos territórios ocupados. Israel e EUA pedem que Abbas retorne às negociações sem impor condições.

Nabil Abu Rdainah, porta-voz de Abbas, disse que o novo projeto israelense prova que Israel tenta minar os esforços internacionais e de Abbas, que procuram salvar o processo de paz .

Israel afirma que Jerusalém é sua eterna e indivisível capital, o que não é reconhecido internacionalmente. Por outro lado, palestinos desejam que a região oriental da cidade, predominantemente árabe, seja a capital de um futuro Estado na Cisjordânia e na Faixa de Gaza.

O premiê israelense, Benjamin Netanyahu, excluiu Jerusalém de sua suspensão de 10 meses, anunciada em novembro, para a construção de novas casas em assentamentos judeus na Cisjordânia.