EUA sabiam de ligação de suspeito com terroristas, diz oficial

Portal Terra

WASHINGTON - Um oficial designado a investigar o atentado em um voo que pousou em Detroit na última sexta-feira disse, segundo a agência de notícias AP, que os Estados Unidos tinham conhecimento há dois anos de que o suspeito Umar Farouk Abdul Mutallab mantinha ligação com redes terroristas.

De acordo com o oficial, que falou sob condição de anonimato, Muttalab estava em uma lista americana com nome de pessoas com contatos comprovados ou suspeitos com terroristas ou organizações terroristas.

Mutallab está internado em um hospital para tratamento de queimaduras de segundo e terceiro grau. Um banqueiro está cooperando com oficiais americanos na Nigéria por suspeitar que o jovem seja o seu filho.

O incidente

O incidente ocorreu por volta da 0h de sexta-feira (hora local), quando um voo procedente de Amsterdã com 278 passageiros a bordo, alguns deles procedentes da Nigéria, iniciou as manobras para pousar no aeroporto de Detroit.

Mutallab tentou ativar uma bomba no interior da cabine de passageiros, mas vários destes e membros tripulação conseguiram contê-lo. O indivíduo foi colocado à disposição da Justiça e levado para um hospital para ser tratado de queimaduras de segundo e terceiro grau.

Ainda de acordo com a CNN, o suspeito chegou a Amsterdã em um voo da KLM procedente de Lagos, na Nigéria. Na capital holandesa, ele não foi submetido a nenhuma revista adicional. Simplesmente pegou sua conexão para os EUA.

Funcionários do governo, citados pela imprensa americana, disseram que os investigadores não têm evidências de que Abdulmutallab seja um membro da Al-Qaeda ou tenha sido treinado para executar ataques.