EUA reforçam segurança em aeroportos após incidente em avião

Portal Terra

ESTADOS UNIDOS - O Departamento de Segurança Nacional do Estados Unidos aumentou neste sábado as medidas de controle para "melhorar a segurança nos voos domésticos e internacionais". A ordem foi dada pelo presidente Barack Obama, que está de férias do Havaí, após o incidente em que o nigeriano, identificado pelas autoridades como Umar Farouk Abdul Mutallab, 23 anos, detonou explosivos durante em um voo da companhia Northwest Airlines (pertencente à Delta Airlines) que fazia o trajeto Amsterdã-Detroit.

De acordo com o porta-voz da Casa Branca, Bill Burton, Obama pediu que sejam tomadas todas as medidas possíveis para garantir a segurança aérea. Por enquanto, as autoridades americanas não decidiram elevar o alerta terrorista, que está no nível laranja, o segundo de cinco níveis. Autoridades holandesas também afirmaram que os EUA pediram às companhias aéreas de todo o mundo a adoção de medidas de segurança adicionais.

- As medidas adicionais se aplicam no mundo inteiro a todos os voos para os Estados Unidos por tempo indeterminado - afirma um comunicado recebido em Haia pela Coordenador Nacional contra o Terrorismo (NCTB). As medidas incluem revistas de passageiros e controles adicionais das bagagens de mão.

Nessa sexta-feira, um homem de nacionalidade nigeriana, identificado pelas autoridades como Umar Farouk Abdul Mutallab, 23 anos, tentou detonar explosivos durante um voo da companhia Northwest Airlines (pertencente à Delta Airlines). Ele disse que seguia instruções da Al-Qaeda para detonar o aparato em solo americano. A Casa Branca classificou o incidente como uma tentativa de um atentado terrorista.

Testemunhas disseram que o voo número 253, com 278 pessoas a bordo, que decolou de Amsterdã, na Holanda, estava a 20 minutos do aeroporto de Detroit, quando uma explosão semelhante a fogos de artifício foi ouvida. Um passageiro se queimou ao tentar dominar o autor da explosão. Após ser dominado, o nigeriano foi levado para um assento na primeira fila. Ele estava com as calças cortadas e as pernas queimadas.

Segundo funcionários de departamentos de inteligência dos Estados Unidos, o explosivo era feito de uma mistura de pó e líquido, mas falhou quando o passageiro tentou detoná-lo. Segundo o passageiro Peter Smith, o som ouvido foi semelhante ao de fogos de artifício abafados por um travesseiro.

- Primeiro teve o estouro e depois fumaça - afirmou. Ele relatou que o passageiro que tentou conter o nigeriano pulou sobre passageiros para dominá-lo.