Parte da família de Osama bin Laden vive no Irã, diz jornal

Portal Terra

SÃO PAULO - Os parentes mais próximos de Osama bin Laden - entre eles uma mulher e alguns filhos - estão vivendo em um local secreto no Irã desde que desapareceram de um campo de treinamento afegão na época dos atentados de 11 de setembro de 2001. Segundo o jornal britânico The Times, as informações foram reveladas ontem por membros da família.

De acordo com o jornal, há oito anos não se tem informações confiáveis sobre o paradeiro de alguns membros da família Bin Laden. Alguns relatos dão conta de que alguns dos filhos do terrorista mais procurando do mundo haviam morrerido em bombardeios, enquanto outros indicam que eles se juntaram ao pai no planejamento de ataques terroristas.

No entanto, parentes disseram ter encontrado no mês passado uma das mulheres de Osama, seis filhos e 11 netos em um local secreto nos arredores de Teerã, o que é negado pelas autoridades iranianas. Diz o Times que eles têm evitado o "contato com o mundo exterior". Membros da família já vêm apelando para que o grupo possa deixar o país, descrevendo-os como as "vítimas esquecidas do 11/9".

Omar Ossama bin Laden, 29 anos, o quarto filho mais velho na linhagem de Bin Laden disse que não tinha ideia de que seus irmãos e irmãs estavam vivos até que eles entraram em contato, em novembro. Eles contaram como saíram do Afeganistão um pouco antes do 11/9 e seguiram até o Irã, de onde não saíram por "sua própria segurança".

Apelo e especulações

A família de Bin Laden tenta agora obter permissão para sair do Irã. "Estas crianças nunca tiveram nenhum tipo de educação, não fazem mal a uma só alma, nunca pegaram em armas ou fizeram parte da Al-Qaeda. Só queremos estar juntos como uma família. As crianças não podem ser julgadas pelos pecados do seu pai", disseram membros da família.

Uma das crianças, uma filha chamada Iman, escapou recentemente durante uma rara viagem deles fora da residência e chegou até a embaixada da Arábia Saudita. Atualmente, ela vive lá enquanto aguarda autorização para deixar o Irã. Omar bin Laden disse que seus parentes levam uma vida normal, na medida do possível, cozinham, assistem tevê e lêem. Eles podem deixar o local raras vezes para fazer compras.

Alguns dos filhos mais velhos do líder da Al-Qaeda também acabaram casando e tiveram filhos. "O governo iraniano não sabe o que fazer com esse grupo grande de pessoas que ninguém quer, então eles os mantêm em segurança. Por isso, nós somos tão gratos e agradecemos ao Irã do fundo de nossos corações", disse Omar, apesar das autoridades do Irã terem negado qualquer informação a respeito do caso.

Ele agora espera que a família receba permissão para deixar o Irã e se juntar a sua mãe, irmão e duas irmãs na Síria, ou com ele e sua mulher no Catar. Na época dos atentados, os filhos mais velhos de Bin Laden, Saad, Ossman e Muhammad tinham 20, 17 e 15 anos. Houve especulações de que Muhammad era o segundo nome da Al-Qaeda e de que Saad também incentivava ataques terroristas, até que teria sido assassinado há 18 meses

Soldados norte-americanos e milícias afegãs lançaram em 2001 uma operação de grande porte nas montanhas de Tora Bora em busca de Bin Laden, nascido na Arábia Saudita. Bin Laden nunca foi encontrado e acredita-se que ainda está escondido na região montanhosa da fronteira do Afeganistão com o Paquistão.