Honduras: posse de Lobo será marcada por protestos

Agência ANSA

TEGUCIGALPA - A Frente Nacional de Resistência Contra o Golpe de Estado em Honduras vai convocar uma série de manifestações, paralelamente à cerimônia de posse do presidente eleito, Porfírio Lobo, no próximo dia 27.

Segundo o dirigente do movimento, Rafael Alegría, neste domingo também será feito um protesto, com música e poesia, para relembrar os seis meses do golpe de Estado que tirou Manuel Zelaya do poder, e os três meses em que o mandatário está hospedado na Embaixada brasileira em Tegucigalpa.

Segundo Alegría, no dia 7 de janeiro está agendada ainda uma "marcha popular para condenar a violação dos direitos humanos e a intenção do regime de facto, liderado por Roberto Micheletti, de tirar Honduras da Alternativa Bolivariana para os Povos da Nossa América (ALBA)".

- A Alba é um projeto de integração de povos do qual nosso país recebeu muita cooperação, e seria totalmente injusto se Honduras se retirasse da Alba só para dar gosto ao senhor Micheletti e ao grupo empresarial oligárquico que o apoia - explicou o dirigente.

No último dia 16, o governo hondurenho decidiu solicitar ao Congresso que revogue o tratado que incluiu o país centro-americano na Alba, aprovado em agosto por iniciativa do presidente deposto, Manuel Zelaya.

Atualmente, a aliança é composta por Venezuela, Bolívia, Cuba, Equador, Honduras, Nicarágua, Dominica, Antígua e Barbuda e São Vicente e Granadinas.

Alegría afirmou também que a Frente de Resistência Contra o Golpe de Estado está planejando um debate para o mês que vem, com todos os setores sociais do país, que terá como tema a criação de uma Assembleia Nacional Constituinte para promulgar uma nova Constituição.

O golpe de Estado contra Zelaya, cometido em 28 de junho, teve como motivo principal a intenção do presidente de realizar uma consulta popular para modificar a Constituição hondurenha.

Lobo venceu as eleições do último dia 29 pela legenda oposicionista Partido Nacional. Parte da comunidade internacional não reconheceu ainda o resultado do pleito, já que havia posto como condição para isto a restituição de Zelaya.