Tempestades de neve e frio paralisam Europa e EUA

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - Milhares de americanos e europeus ficaram presos em trens, estações, estradas e aeroportos neste fim de semana em decorrência da neve e da onda de frio que passou antes da hora pelo continente europeu e o nordeste dos Estados Unidos, provocando panes e mortes no último fim de semana antes do feriado de Natal.

A nevasca que atingiu estados no leste dos EUA na madrugada deste domingo e que à tarde já se deslocava para o norte, deixou centenas de milhares de pessoas sem energia elétrica e paralisou o tráfego de aviões e o transporte público naquela região. Cinco pessoas morreram no país em ocorrências relacionadas à neve.

Em Washington, a nevasca bateu recorde com 40 centímetros, a maior marca já registrada em um único dia, num mês de dezembro. Aeroportos da região cancelaram voos devido ao mau tempo e o prefeito de Washington, Adrian Fenty, declarou estado de emergência.

Na Baviera, no sul da Alemanha, a temperatura atingiu -33,6ºC na madrugada de sábado e na Polônia, 15 pessoas morreram em consequência das temperaturas de até 20 graus abaixo de zero. A madrugada de domingo foi uma das mais frias do ano também na França, chegando a -24ºC. Em Arras, no norte do país, um desempregado de 36 anos foi encontrado morto em seu trailer, assim como um desabrigado polonês em Marselha, no sul.

Transporte

A circulação dos trens Eurostar entre Londres e Paris, bloqueada desde a noite de sexta-feira por panes que obrigaram 2 mil pessoas a passar a noite no túnel sob a Mancha, continuava paralisada neste domingo por tempo indeterminado.

Segundo a Eurostar, 24 mil pessoas perderam a viagem dos dois lados do Canal da Mancha. O tráfego ferroviário também continuava muito perturbado na França, Bélgica, Holanda e Áustria.

Aeroportos de Bruxelas, Charleroi e Liège, na Bélgica, pararam de funcionar por causa da neve.