Uruguai: oposição apresenta propostas de segurança pública

Agência ANSA

MONTEVIDÉU - Os candidatos a presidente e vice-presidente do Uruguai pelo Partido Nacional, Luis Lacalle e Jorge Larrañaga, respectivamente, apresentaram hoje suas principais propostas em matéria de segurança pública.

Durante a apresentação, Lacalle, presidente do Uruguai entre 1990 e 1995, classificou como "fracasso retumbante" as medidas do governo de Tabaré Vázquez sobre o assunto a assinalou que "o povo clama por mais repressão".

- Queremos que alguém com firmeza assuma o Ministério do Interior, mas com cuidados dos direitos - afirmou o postulante do Partido Nacional.

Entre as propostas do partido estão a criação da Guarda Nacional Republicana, com a transferência de 2 mil funcionários do Ministério da Defesa ao do Interior e o aumento das penas aos infratores menores de idade.

Além disso, a chapa planeja incrementar o orçamento do Ministério do Interior, aumentar os salários dos policiais e emitir títulos de crédito de segurança pública como "dívida flutuante" para incentivar investimentos.

No próximo domingo, será realizado o segundo turno das eleições presidenciais do Uruguai, em que Lacalle disputa o cargo com o senador governista José Mujica.

Durante a campanha, o candidato da coalizão governista Frente Ampla reconheceu a "crise de segurança", mas considerou que esse é "um problema integral".

- Temos que melhorar o nível dos salários e da tecnologia da Polícia, mas não podemos pedir que ela solucione os problemas sociais que estão na origem da coisa - analisou Mujica, considerado favorito para o pleito de domingo.

Segundo estudo divulgado na semana passada pela empresa Interconsult, Mujica tem 48% das preferências dos eleitores, contra 42% de Lacalle.