Afeganistão: soldados mortos às vésperas de decisão sobre reforços

Jornal do Brasil

CABUL - Quatro soldados americanos da Otan morreram entre domingo e segunda-feira em ataques no sul e leste do Afeganistão, anunciou a Força Internacional de Assistência à Segurançad (Isaf). Dois deles morreram na explosão de uma bomba improvisada, o terceiro foi vítima de tiros dos insurgentes em outro ataque, no domingo", afirma o comunicado da Isaf. Outro soldado americano morreu na explosão de uma bomba improvisada no leste do Afeganistão segunda-feira", completa a nota oficial.

Baixas

Com as vítimas, o número de soldados estrangeiros mortos no Afeganistão desde o início do ano chegou a 481, sendo 297 americanos, segundo uma contagem com base em dados do site especializado www.icasualties.org.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deve anunciar nos próximos dias a decisão sobre o envio de reforços ao país. O comando militar no Afeganistão deseja receber 40 mil soldados adicionais.

O Afeganistão é cenário de uma sangrenta insurreição dos talebans, apesar da presença de 100 mil soldados estrangeiros, 68 mil deles americanos.

O ano de 2009 é o mais violento desde a queda do regime taleban em 2001, tanto no que diz respeito a vítimas civis como a militares afegãos e estrangeiros. Em 2008, 295 soldados estrangeiros morreram no Afeganistão.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, acrescentou um sua agenda de segunda-feira uma reunião com seus conselheiros para tratar sobre o Afeganistão, antes de anunciar a decisão de enviar ou não mais tropas norte-americanas para o conflito.

A Casa Branca disse que Obama se encontraria com o vice-presidente, Joe Biden, a secretária de Estado, Hillary Clinton, o secretário de Defesa, Robert Gates, e outros representantes às 23h (horário de Brasília).