Peru apresenta proposta para redução de gastos armamentistas

Agência ANSA

LIMA - A ministra peruana da Produção, Mercedes Aráoz, apresentou na Argentina um projeto para os países membros da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) reduzirem os gastos em armamentos para combater a pobreza.

Intitulado 'Protocolo de Paz, Segurança e Cooperação', o texto foi apresentado ao vice-presidente argentino e presidente do Senado, Julio Cobos, por uma delegação peruana encabeçada por Aráoz.

A ministra explicou que o autor da proposta é o próprio presidente do Peru, Alan García, e que o documento tem o objetivo de reduzir a pobreza, através da redução do armamentismo.

O projeto visa diminuir em 3% ao ano os gastos militares, até que se reduzam 15% em cinco anos.

- Nos preocupa que não tendo na região nenhum motivo de conflito real, exista um clima de desconfiança gerado por uma corrida armamentista não conveniente para os países americanos - observou Aráoz.

Segundo a ministra peruana, na última segunda-feira, a delegação foi recebida também pela presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner. O país é o primeiro membro da Unasul para qual é apresentado o protocolo.

- Cristina e Cobos se mostraram receptivos à proposta. O presidente do Senado disse que vai compartilhar o projeto com a Casa e viu muito positivamente a visão de equilíbrio, equidade e transparência que causaria na região - comentou Aráoz.

O congressista peruano Alejandro Aguinaga Recuenco destacou, por sua vez, que estas reduções nos gastos armamentistas poderão tirar da pobreza dez milhões de pessoas dos países da Unasul.

O bloco sul-americano é composto por Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Em setembro, o presidente peruano enviou uma carta aos ministros da Defesa da Unasul sugerindo a adoção de medidas para conter uma possível corrida armamentista na região. García também propôs um pacto de não agressão militar entre os membros do bloco.