Dezenas de manifestantes detidos após confronto com polícia iraniana

REUTERS

TEERÃ - Manifestantes entraram em confronto com a polícia iraniana, nesta quarta-feira, quando o governo de Teerã comemora os 30 anos da invasão à embaixada americana. No dia 4 de novembro de 1979, um grupo de estudantes atacou a embaixada dos Estados Unidos, em Teerã, e manteve 52 reféns por mais de 440 dias.

Nas manifestações desta quarta-feira, à margem dos festejos oficiais, pelo menos 20 pessoas foram detidas. Jovens oposicionistas, contra a reeleição do presidente Mahmud Ahmadinejad, saíram às ruas atendendo à convocação dos líderes reformistas. Eles jogaram pedras contra policiais e foram reprimidos com tiros para o alto, gás lacrimogêneo e cassetetes.

No Centro de Teerã, houve muita depredação. Os manifestantes gritavam o nome de Mir Hussein Moussavi, principal líder do movimento reformista, e pediam a morte de Ahmadinejad.

Na segunda-feira, Moussavi pediu a seus simpatizantes que aproveitassem o dia 4 de novembro para retomar os protestos contra os resultados eleitorais de 12 de junho.

Enquanto isso, em frente à antiga embaixada americana, milhares de partidários do regime gritavam 'morte aos Estados Unidos', 'morte a Israel' e 'morte aos ingleses'.