Comissão que vai verificar acordo em Honduras começa a trabalhar

Agência Brasil

TEGUCIGALPA - A comissão que vai verificar a execução do acordo feito entre os governos golpista e deposto de Honduras, instalada ontem à noite, começa efetivamente a trabalhar nesta quarta-feira. Formada por dois aliados de Roberto Micheletti e Manuel Zelaya e por dois representantes da comunidade internacional o ex-presidente do Chile Ricardo Lagos e a secretária de Trabalho dos Estados Unidos, Hilda Solís -, a comissão vai acompanhar a execução dos termos do acordo, que prevê para amanhã a instalação de um governo de unidade e reconciliação nacional.

Como o Congresso decidiu não votar o acordo que pode reconduzir Manuel Zelaya à Presidência sem antes ouvir a Suprema Corte, as negociações estão travadas. Os líderes partidários se reuniram ontem e decidiram que antes de o Congresso votar o acordo, é preciso fazer uma consulta à Justiça.

O ex-presidente chileno Ricardo Lagos cobrou que o acordo seja cumprido. - Temos que fazer todos os esforços para que o acordo se cumpra. Estamos aqui para verificar que se cumpra - disse Lagos. Já a secretária de Trabalho dos Estados Unidos, Hilda Solís, afirmou que o presidente norte-americano, Barack Obama, está acompanhando a situação hondurenha e que está em Honduras com a missão de buscar soluções para o país.

O candidato líder nas pesquisas para as eleições previstas para o fim do mês, Porfírio Lobo, do Partido Nacional, também defendeu o cumprimento do acordo. - É preciso respeitar o acordo que se firmou. As duas partes que estavam em conflito firmaram um acordo e é tudo - disse Lobo.