Irã vê diferenças na Opep sobre preço do petróleo

REUTERS

TEERÃ - Os membros da Opep (Organização dos Países Produtores de Petróleo) têm visões diferentes quanto ao preço desejável do petróleo, disse à Reuters no domingo o representante do Irã no grupo.

- Há opiniões distintas de diferentes membros (da Opep) em relação aos preços do produto. Alguns pensam que o preço de 70 a 80 dólares (por barril) é alto, e alguns o consideram baixo - disse Mohammad Ali Khatibi em entrevista telefônica, sem citar nomes de países.

Khatibi disse que o dólar fraco "levou todos a refletir mais sobre tentar encontrar uma solução para isso", mas não detalhou o que a Opep pode fazer para resolver a situação.

Com relação à demanda futura, ele disse que se especula no mercado sobre um aumento de entre 0,7 milhão e 1,4 milhão de barris por dia (bpd) na demanda em 2010. Se esse aumento na demanda se concretizar, "isso vai gerar um ambiente positivo", segundo Khatibi.

Os preços do petróleo subiram na semana passada para o nível mais alto em um ano, 82 dólares, tendo apresentado alta de 17 por cento desde 10 de outubro. Isso coincidiu com a alta nos índices acionários globais e com o enfraquecimento do dólar, que caiu para o ponto mais baixo em 14 meses, 1,50 dólar por um euro.

O secretário-geral da Opep, Abdullah al-Badri, disse na quinta-feira que o grupo de 12 países está satisfeito com os preços atuais do petróleo, especialmente em comparação com a queda para quase 30 dólares verificada no final do ano passado.

Khatibi disse:

- Cada país expressa seu próprio ponto de vista em relação a isso. Mas, pelo que sei, não há concordância entre os países-membros da Opep com relação aos preços do petróleo.

Ele acrescentou: - Precisamos definir o que é um alto valor do dólar e o que é um baixo valor. Cada país tem sua própria definição.

"ALTOS E BAIXOS"

O preço em dólar do petróleo vem mudando em uma relação de preços inversa com a moeda norte-americana. Alguns anos atrás o Irã começou a aumentar suas vendas de petróleo em outras moedas que não o dólar, dizendo que a moeda norte-americana fraca erodia seu poder de compra.

A República Islâmica do Irã, quinto maior exportador mundial de petróleo, está submetida a sanções dos EUA e ONU devido a seu programa nuclear polêmico.

Khatibi disse que o dólar fraco pode ter um impacto positivo na economia dos EUA, ao incentivar suas exportações.

- Mas, definitivamente, não é positivo para quem vende seus produtos em dólares - disse ele.

No final do ano passado, a Opep concordou em reduzir sua produção em 4,2 milhões de bpd. Ela não mudou sua política oficial este ano, mas estimativas do setor mostram que a produção real da Opep vem subindo lentamente.

Embora a Opep preveja uma economia mais forte em 2010, os estoques de petróleo já estão grandes.

Khatibi descartou qualquer esperança de uma recuperação rápida da economia mundial, prevendo "altos e baixos".

- ... Não devemos ter grandes esperanças de deixar a recessão econômica para trás no curto prazo - disse ele.

A demanda global por petróleo caiu muito no ano passado, em meio à crise financeira, depois de os preços terem subido para o recorde de 147 dólares o barril em julho, para então cair para 32 dólares em dezembro, o nível mais baixo em quase cinco anos.

Os membros da Opep produzem mais de um terço do petróleo consumido no mundo. Todos os membros, excetuando o Iraque, concordam em limitar sua produção.